Boas letras



Alphonse Allais, como marginal das boas letras, assenta como uma luva (com a medida certa) à colecção Avesso, na sequência de Félix Fénéon, primeiro volume desta colecção. Isto porque Allais nunca foi visto como «escritor» durante muitos anos, mesmo depois da morte. Foi preciso que os surrealistas franceses o «descobrissem» (Breton, Cocteau) e, depois, Umberto Eco e outras sumidades, para começar a gozar de uma certa credibilidade literária e ter entrado no Panteão das Letras. Esqueceram-se os seus contemporâneos e os historiadores da literatura, que este herói dos estudantes e dos boémios do Quartier Latin era um grande escritor que, todos os dias, ajudava a criar o futuro da grande literatura humorística e satírica francesa.


Da introdução de Filipe Guerra a 63 Histórias de Humor e 1 Poema Melancólico, de Alphonse Allais.

Quatro de dez



A Avesso é uma colecção de dez livros de ficção (consulte a lista de autores e títulos na barra do lado direito). Até ao momento, foram publicados quatro volumes:

Notícias em três linhas, de Félix Fénéon.

Quartos Alugados, de Alexandre Andrade.
(Primeira edição esgotada. Segunda edição já disponível no sítio da editora e nas livrarias.)

O Empresário, de Johann Gottlieb Stephanie der Jüngere.

63 Histórias de Humor e 1 Poema Melancólico, de Alphonse Allais

Um nome que vai ficar na literatura portuguesa

Alexandre Andrade, autor de "Quartos Alugados", editado na Colecção Avesso, ganhou mais uma leitora atenta: Bárbara Bulhosa, da editora Tinta da China. Na última edição da Notícias Magazine (8 de Janeiro de 2017), Bárbara Bulhosa afirma que Alexandre Andrade "é uma voz nova, muito culta e articulada, que escreve de forma original, procurando referências que são tudo menos óbvias. Vai ser um nome que vamos ouvir falar de certeza. Mais do que isso, vai ser um nome que vai ficar na literatura portuguesa".
 



Apresentação de "O Empresário", no Porto



A apresentação de "O Empresário", de Johann Gottlieb Stephanie der Jüngere, terceiro volume da Colecção Avesso, acontece na Livraria Flâneur, sexta-feira, 28 de Outubro, pelas 21h00. Com a presença de Virgílio Melo, tradutor, Sousa Dias, autor do prefácio, e Pedro Junqueira Maia, responsável pela adaptação da partitura de W. A. Mozart.

Chegou o terceiro volume da Colecção Avesso











Chegou o terceiro volume da Colecção Avesso. Trata-se de "O Empresário", libreto de Johann Gottlieb Stephanie der Jüngere para a ópera cómica com o mesmo nome, de W. A. Mozart, estreada em 1786.
Versão de Virgílio Melo, prefácio de Sousa Dias e adaptação da partitura de Pedro Junqueira Maia. Já disponível na sua livraria ou em exclamação.pt.

Fénéon esteve aqui.



Patrícia Ferreira e Adolfo Luxúria Canibal numa conversa em torno de "Notícias em três linhas", de Félix Fénéon, primeiro volume da Colecção Avesso. Na Livraria Centésima Página, em Braga, no dia 20 de Fevereiro de 2016.

Lisboa, meninos e moças



Imagem da apresentação de "Quartos alugados", de Alexandre Andrade, o mais recente volume da Colecção Avesso, num quarto alugado do Largo Residências, no Intendente, em Lisboa, no sábado, 12 de Dezembro. Na mesa, Francisco Frazão (à esquerda) e Alexandre Andrade (à direita).

Cinco estrelas no Expresso



Nove histórias magníficas voltam a provar que Alexandre Andrade é um dos melhores contistas portugueses.

O semanário Expresso, na sua edição de 5 de Dezembro, atribuiu cinco estrelas a "Quartos Alugados", de Alexandre Andrade, o mais recente volume da Colecção Avesso. O texto é de José Mário Silva.

Exposição de Patrícia Ferreira a partir das histórias de Félix Fénéon



No próximo sábado, 5 de Dezembro, pelas 17h00, inaugura na livraria Centésima Página, em Braga, a exposição "Micro-Nouvelles: 13 histórias trágicas + 2 breves", de Patrícia Ferreira, a partir de algumas "Notícias em três linhas", de Félix Fénéon.

A exposição vai estar patente de 5 de Dezembro a 31 de Janeiro, deslocando-se depois para Évora.

"Notícias em três linhas", de Félix Fénéon, com tradução, prefácio e notas de Manuel Resende, é o primeiro volume da Colecção Avesso.

Cinco estrelas



A arte de Alexandre Andrade consiste, entre outros aspectos, em laborar noutro comprimento de onda. Em vez de investir num dos dois limites - naturalismo estrito ou fantasia extremada -, realizar o seu intento colhendo o melhor da razão e energia em ambos os mundos.

O mais recente volume da Colecção Avesso, "Quartos Alugados", de Alexandre Andrade, merece cinco estrelas na edição de hoje do jornal Público, num texto de Hugo Pinto dos Santos.
Leia o texto completo aqui.